Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina


Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina

Para vosso conhecimento e divulgação, a pedido do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, anexamos documentação informativa sobre o Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa velutina.

 

  • A Vespa velutina nigrithorax, adiante designada apenas por Vespa velutina, é uma espécie não-indígena, predadora da abelha europeia (Apis mellifera), encontrando-se, por enquanto, aparentemente circunscrita a concelhos do norte do País. Esta vespa asiática, proveniente de regiões tropicais e subtropicais do norte da India, do leste da China, da Indochina e do arquipélago da Indonésia, ocorre nas zonas montanhosas e mais frescas da sua área de distribuição.

 

  • A sua introdução involuntária na Europa ocorreu em 2004 no território francês, tendo a sua presença sido confirmada em Espanha em 2010, em Portugal e Bélgica em 2011 e em Itália em finais de 2012.

 

  • Na época da primavera constroem ninhos de grandes dimensões, preferencialmente em pontos altos e isolados. Esta espécie distingue-se da espécie europeia Vespa crabro pela coloração do abdómen (mais escuro na vespa asiática) e das patas (cor amarela na vespa asiática).

 

  • Os principais efeitos da presença desta espécie não indígena manifestam-se em várias vertentes, sendo de realçar:
    • na apicultura - por se tratar de uma espécie carnívora e predadora das abelhas;
    • para a saúde pública – não sendo mais agressivas que a espécie europeia, no caso de sentirem os ninhos ameaçados reagem de modo bastante agressivo, incluindo perseguições até algumas centenas de metros.

 

Sugerimos a consulta ao portal SOS VESPA, através do link: http://www2.icnf.pt/portal/icnf/noticias/gloablnews/arq/sosvespa


O Aviso tem um PDF associado.

Comentários